O Anel


Um aluno chegou a seu professor com um problema:

- Venho aqui, professor, porque me sinto tão pouca coisa, que não tenho forças para fazer nada. Dizem que não sirvo para nada, que não faço nada bem, que sou lerdo e muito idiota. Como posso melhorar? O que posso fazer para que me valorizem mais?

O professor sem olhá-lo, disse:

- Sinto muito meu jóvem, mas agora não posso ajudá-lo, devo primeiro resolver o meu próprio problema. Talvez depois. E fazendo uma pausa falou:
- Se você me ajudar, eu posso resolver meu problema com mais rapidez e depois talvez possa ajudar você a resolver o seu.

- Claro, professor, gaguejou o jovem, mas se sentiu outra vez desvalorizado.

O professor tirou um anel que usava no dedo pequeno, deu ao garoto e disse:

Monte no cavalo e vá até o mercado. Deve vender esse anel porque tenho que pagar uma dívida. É preciso que obtenha pelo anel o máximo possível, mas não aceite menos que uma moeda de ouro. Vá e volte com a moeda o mais rápido possível.

O jovem pegou o anel e partiu.

Mal chegou ao mercado começou a oferecer o anel aos mercadores. Eles olhavam com algum interesse, até quando o jovem dizia o quanto pretendia pelo anel.

Quando o jovem mencionava uma moeda de ouro, alguns riam, outros saiam sem ao menos olhar para ele, mas só um velhinho foi amável a ponto de explicar que uma moeda de ouro era muito valiosa para comprar um anel.
Tentando ajudar o jovem, chegaram a oferecer uma moeda de prata e uma xícara de cobre, mas o jovem seguia as instruções de não aceitar menos que uma moeda de ouro e recusava as ofertas.

Depois de oferecer a jóia a todos que passavam pelo mercado e abatido pelo fracasso, montou no cavalo e voltou. O jovem desejou ter uma moeda de ouro para que ele mesmo pudesse comprar o anel, assim livrando a preocupação de seu professor e assim podendo receber sua ajuda e conselhos.

Entrou na casa e disse:

- Professor, sinto muito, mas é impossível conseguir o que me pediu. Talvez pudesse conseguir 2 ou 3 moedas de prata, mas não acho que se possa enganar ninguém sobre o valor do anel.

Importante o que me disse meu jovem, contestou sorridente. Devemos saber primeiro o valor do anel. Volte a montar no cavalo e vá até o joalheiro. Quem melhor para saber o valor exato do anel? Diga que quer vender o anel e pergunte quanto ele te dá por ele. Mas não importa o quanto ele te ofereça, não o venda. Volte aqui com meu anel.

O jovem foi até ao joalheiro e lhe deu o anel para examinar. O joalheiro examinou o anel com uma lupa, pesou o anel e disse:
- Diga ao seu professor que, se ele quer vender agora, não posso dar mais que 58 moedas de ouro pelo anel.
- 58 MOEDAS DE OURO! Exclamou o jovem.
- Sim, replicou o joalheiro, eu sei que com tempo eu poderia oferecer cerca de 70 moedas, mas se a venda é urgente...

O jovem correu emocionado a casa do professor para contar o que correu.

- Senta, disse o professor e depois de ouvir tudo que o jovem lhe contou, disse:
- Você é como esse anel, uma jóia valiosa e única. Só pode ser avaliada por um especialista. Pensava que qualquer um podia descobrir o seu verdadeiro valor?
E dizendo isso voltou a colocar o anel no dedo.

Todos nós somos como esta jóia. Valiosos e únicos e andamos por todos os mercados da vida pretendendo que pessoas inexperientes nos valorizem.

10 comentários:

Bia disse...

Meu Deus que coisa linda meninas... sou também como esse anel e agora fui acariciada no íntimo com essa mensagem, muito obrigada por postar!!!
beijos

Sol disse...

Que belo texto Tânia, que bela reflexao, nós algumas vezes nos decepcionamos com as pessoas que nao reconhecem nosso valor, mas nao entendemos que elas ainda não têm condições nem maturidade espiritual para dar valor a qualidades que nao aprenderam a conhecer.
Beijão
Sol

Tânia Marchezin disse...

Obrigada Bia e Sol, são comentários assim que nos fortalece e nos dá mais ânimo para prosseguir nesta blogosfera.

Mil bjs

X5 disse...

A então eu saiu sempre com a galera e a gente ta afim de conhecer lugares novos, caso a gente decidir ir para franca eu aviso vcs meninas e caso quiser acompanhar uma turma de roqueiros doidinhos e zuões em alguma lanchonete ou algo do tipo vai ser legal (sem papo cabeça plz kkkkkkkkkkk) rsrs... =D

Bye ;)

X5 disse...

Meninas o texto dessa postagem é fantastico parabens o blog sempre de primeira =D

blogdocatarino.com disse...

Muito boa esta história, ensina que temos valor e não podemos aceitar que nos diminuam.

bloguedomonstro disse...

Francamente, mente de Franca!

Agradeço pelas suas gentilezas!
Nos vemos por aí!
Forte abraço, Monstro

Tânia Marchezin disse...

X5, e a sua visita é essencial.
Bjs

Tânia Marchezin disse...

Catarino, o valor esta em cada um de nós, basta nos olharmos com os "olhos" do coração.
Bjs

Tânia Marchezin disse...

Monstro, que monstro não tem nada, volte sempre.
Bjs

Postar um comentário

Obrigada por fazer um comentário.
"Ah! se todo mundo fosse igual a você..."
Abraços

Hoje é

Seguidores

Dihitt

Google+ Followers

  ©The New Web Post - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo