E tudo mudou...

Um bando de adolescente imberbe, virou teen
O rouge virou blush
O pó-de-arroz virou pó-compacto
O brilho virou gloss
O rímel virou máscara incolor
A Lycra virou stretch
Anabela virou plataforma
O corpete virou porta-seios
Que virou sutiã
Que virou lib, que virou silicone

A peruca virou aplique, interlace, megahair, alongamento
A escova virou chapinha
'Problemas de moça' viraram TPM
Confete virou MM

A crise de nervos virou estresse
A chita virou viscose.
A purpurina virou gliter
A brilhantina virou mousse
Os halteres viraram bomba
A ergométrica virou spinning
A tanga virou fio dental
E o fio dental virou anti-séptico bucal

Ninguém mais vê...
Ping-Pong virou Babaloo
O a-la-carte virou self-service

A tristeza, depressão
O espaguete virou Miojo pronto
A paquera virou pegação
A gafieira virou dança de salão

O que era praça virou shopping
A areia virou ringue
A caneta virou teclado
O long play virou CD

A fita de vídeo é DVD
O CD já é MP3
É um filho onde éramos seis
O álbum de fotos agora é mostrado por email

O namoro agora é virtual
A cantada virou torpedo
E do 'não' não se tem medo
O break virou street
O samba, pagode
O carnaval de rua virou Sapucaí
O folclore brasileiro, halloween
O piano agora é teclado, também

O forró de sanfona ficou eletrônico
Fortificante não é mais Biotônico
Bicicleta virou Bis

Polícia e ladrão virou counter strike

Folhetins são novelas de TV
Fauna e flora a desaparecer
Lobato virou Paulo Coelho
Caetano virou um chato

Chico sumiu da FM e tv

Baby se converteu
RPM desapareceu
Elis ressuscitou em Maria Rita?
Gal virou fênix
Raul e Renato,
Cássia e Cazuza,
Lennon e Elvis,
Todos anjos
Agora só tocam lira...
A AIDS virou gripe
A bala antes encontrada agora é perdida
A violência está coisa maldita!

A maconha é calmante

O professor é agora o facilitador
As lições já não importam mais
A guerra superou a paz
E a sociedade ficou incapaz...
... De tudo.

Inclusive de notar essas diferenças.

(Luiz Fernando Veríssimo)

6 comentários:

Principe Encantado disse...

Muito inteligente este poema, por incrível que pareça até eu mudei, para conseguir conviver com todas essas mudanças.
Abraços forte

Sandra Geise Bortolato disse...

Meu Príncipe!
Você está certo, a mudança é uma das poucas permanências da vida.
Mudamos para nos adaptar, mas também mudamos porque crescemos, aprendemos, envelhecemos, amadurecemos, porém sempre iguais a nós mesmos.
Acho que viajei na resposta, mas adoro você.
Obrigada pelo carinho.
Beijos.

Catarino disse...

Muito boa esta percepçao das coisas, a globalizaçao vai mudando nossa lingua e nem percebemos.
Obs.: Os erros de grafia sao devido ao teclado que estou usando.

Ebrael Shaddai disse...

Sempre adorei o Fernando, desde os tempos da Comédia da Vida privada. Ele tem esse típico ar mordaz e ácido, que tanto admiro no ser humano crítico, e eque eu também tento deixar transparecer no que eu escrevo.

Demais esse poema hem!!

Bjs Sandra!!

Sandra Geise Bortolato disse...

Meu doce Catarino!
Você é um anjo dentro dessa bloguesfera.
Obrigada pelo carinho.
Mil beijos e muita paz.

Sandra Geise Bortolato disse...

Oi Ebrael!
Que bom que gostou.
Muito obrigada pelo carinho que voc~e dá ao The New.
Beijos.

Postar um comentário

Obrigada por fazer um comentário.
"Ah! se todo mundo fosse igual a você..."
Abraços

Hoje é

Seguidores

Dihitt

Google+ Followers

  ©The New Web Post - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo